Na hora de decidir onde investir e qual tipo de ativo escolher, um fator decisivo pode ser o valor das taxas dos investimentos cobradas. 

Sabemos que todo investimento tem um custo, mesmo que seja o IR. E existem muitos tipos diferentes de custos, mas todos têm uma coisa em comum: se o dinheiro vai para outro lugar, não vai para você.

Para te ajudar a não se perder em meio aos impostos e taxas, preparamos este artigo para te mostrar quais os principais custos em diferentes investimentos. Boa leitura!

Se você deseja conhecer mais sobre o mercado financeiro, acesse este material gratuito feito exclusivamente para você. É só clicar aqui.

Por que os custos são importantes?

Os custos de investimento podem não parecer grande coisa, mas eles se somam compondo junto ao retorno do seu investimento. Em outras palavras, você não perde apenas a pequena quantidade de taxas que paga – você também perde todo o crescimento que o dinheiro poderia ter tido por anos no futuro.

Imagine que você tenha investido R$ 100.000. Se a conta ganhasse 6% ao ano pelos próximos 25 anos e não tivesse custos ou taxas, você acabaria com cerca de R$ 430.000.

Se, por outro lado, você pagasse 2% ao ano em custos, após 25 anos teria apenas cerca de R$ 260.000.

Isso mesmo: os 2% que você pagou todos os anos eliminariam quase 40% do valor final da sua conta. 2% não parece mais tão pouco assim, não é?

Saiba mais sobre os diferentes tipos de custos de investimento

Uma das principais razões pelas quais os novos investidores perdem dinheiro é que eles perseguem taxas de retorno absurdas, quer estejam comprando ações, títulos, fundos mútuos, imóveis ou alguma outra classe de ativos.

Isso pode ser porque a maioria das pessoas não entende como funciona os juros compostos. Cada aumento percentual no lucro a cada ano pode significar grandes aumentos em sua riqueza ao longo do tempo.

Por isso, antes de começar a investir, é importante conhecer as taxas e tributos que são cobrados sobre a rentabilidade ou o patrimônio aplicado. 

Imposto de Renda (IR)

O Imposto de Renda nos investimentos é o tributo mais comum. A cobrança do imposto se dá sempre sobre o rendimento e não sobre o capital investido. Ou seja, caso você não tenha rendimento na sua aplicação, não haverá cobrança nem de IR, nem de IOF.

A cobrança do IR varia conforme o investimento que você fizer. O IR sobre a maioria das aplicações financeiras é cobrado de forma regressiva, ou seja, quanto maior for o tempo da aplicação, menor é a alíquota de IR.

Porém, alguns tipos de investimentos como LCIs, LCAs, CRIs, CRAs e debêntures incentivadas são isentas do Imposto de Renda. 

Saiba que o impacto que os impostos têm nos investimentos podem em muitos casos inviabilizar o rendimento. E isso deve ser observado pelo investidor com cuidado na hora de investir.

Taxa de administração

Já a taxa de administração é cobrada de quem escolhe fundos de investimento. A taxa de administração é cobrada nos fundos de investimento de renda fixa ou variável e serve para remunerar os gestores do fundo, além de financiar sua operação.

O custo dessa taxa é dado sempre em um valor anual, mas a quantia é recolhida diariamente, de acordo com o cálculo proporcional. A taxa de administração varia conforme cada estratégia do fundo. 

Por isso a necessidade de avaliar bem as taxas de administração dos fundos os quais o investidor deseja investir para escolher as aplicações que ofereçam a melhor rentabilidade com o menor custo. Assim, a taxa de administração não afetará tanto os rendimentos do investidor a longo prazo. 

Taxa de custódia

Taxas de custódia são custos que você paga a um banco ou corretora para cuidar e gerenciar seus investimentos. Em algum ponto de sua jornada de investimento, você provavelmente encontrará essas taxas.

Ela pode incidir sobre diversos tipos de investimento, mas é mais comum ouvirmos falar da taxa de custódia do Tesouro Direto, em ações ou em ETFs (Exchange Traded Funds, também conhecidos como fundos de índice).

Para ações ou ETFs, a taxa de custódia é mensal e varia de acordo com as corretoras, porém, há as que dispensam esse recolhimento dos clientes.

Emolumentos

Os emolumentos, conhecidos também como taxa de negociação, são taxas fixas cobradas pela B3 por transação.

 O valor varia de acordo com tipo de operação (normal ou Day Trade), tipo de investidor (pessoa física ou fundos e clube de investimentos) e o valor investido.

São cobradas duas taxas, a de negociação e a de liquidação. Ambas tem uma alíquota e o percentual é cobrado sobre o valor financeiro da operação e de cada investidor.

Taxa de corretagem

Uma taxa de corretagem é cobrada pela corretora que mantém sua conta de investimento. As taxas de corretagem incluem taxas anuais para manter a conta da corretora, e pode ser 

Algumas corretoras isentam a cobrança de clientes que operam um valor mínimo mensal.

É importante saber que para quem paga a taxa de corretagem, o valor fixo pode ser mais interessante se o investimento for elevado. Há ainda uma cobrança do Imposto Sobre Serviço (ISS), um tributo municipal cuja alíquota varia entre 2% e 5%, dependendo da cidade.

Taxa de performance

A taxa de performance é um pagamento feito a um gerente de investimentos para gerar retornos positivos. Isso se opõe a uma taxa de administração, que é cobrada sem levar em conta as devoluções. 

A cobrança é feita em ciclos semestrais, sempre que a meta for superada.Em geral, é cobrado um percentual de 20% sobre os rendimentos que superaram a meta previamente estabelecida. 

Portanto, antes de escolher um fundo, o investidor deve avaliar se há cobrança da taxa de performance e checar a meta estabelecida pelo gestor. 

Como os custos de investimento e taxa de corretagem afetam os retornos?

Mesmo uma pequena taxa de corretagem vai aumentar com o tempo; algumas taxas de investimento juntas podem reduzir significativamente o retorno do seu portfólio.

Por exemplo: se seu portfólio teve um aumento de 6% no ano, mas você pagou 1,5% em taxas e despesas, seu retorno na verdade é de apenas 4,5%. Com o tempo, essa diferença torna-se significativa para seu bolso.

Cuidado com as táticas de marketing

Alguns fundos podem cobrar taxas de despesas extremamente baixas, mas adicionar cargas de front e back-end. Ou podem oferecer um benefício “introdutório” ou de curto prazo que vai aumentando posteriormente. Ou podem reduzir os custos de um fundo, mas aumentar os custos dos outros para compensar.

Sendo assim, fique ligado nas taxas na hora de decidir investir! 

Certamente, existem algumas coisas com as quais você não deve se preocupar quando se trata de investir. Mas os custos são um dos fatores que determinam se você alcançará sua meta – e são um dos únicos fatores totalmente sob seu controle. Portanto, dê a eles o tempo e a atenção que merecem.

Aproveite e conheça 8 mitos sobre investimentos. Clique aqui.

Há investimentos sem taxas?

Aqui no Brasil estamos acostumados com muitos impostos e taxação os quais acabam corroendo o nosso dinheiro. E por isso devemos avaliar as taxas cobradas e se elas trazem custo-benefício sob o investimento.

 Esse é um dos motivos pelos quais você deve conhecer quais são as taxas na hora de começar a investir.

A boa notícia é que há investimentos rentáveis e sem a cobrança de taxas de investimentos e corretagem, como é o caso do financiamento coletivo imobiliário.

Ao contrário de muitos tipos de investimento, o investimento coletivo não tem a necessidade de um gerente para controlar o seu dinheiro e, além disso, te dá autonomia para investir nas melhores opções de empreendimentos.

Quem investe no Crowdfunding imobiliário não precisa pagar taxas de investimentos durante seu processo de aplicação de dinheiro em imóveis, aumentando o rendimento dos seus investimentos. Nesse tipo de investimento a única coisa que incide é o IRPF, que é retido na fonte.

Além de os rendimentos dessa modalidade de investimento serem mais elevados e vantajosos que os modelos tradicionais, o financiamento coletivo imobiliário, diferentemente de outros tipos de investimentos, não cobra taxas de administração, apenas .Isso permite que você invista o seu valor total e obtenha retornos ainda mais significativos.

Conclusão

Vale lembrar: analise sempre as taxas de investimento antes de decidir por um tipo de investimento.

Assim você realmente vai ter uma carteira verdadeiramente diversificada e de acordo com seus objetivos e perfil.

É importante ressaltar que os investimentos da INCO são para todos os públicos! Você pode investir a partir de R$ 1000 e aproveitar as oportunidades para diversificar a sua carteira. E Zero taxa!

Agora que você já sabe tudo sobre taxas de investimentos, é hora de analisar as opções e começar a investir. 

Aqui na INCO, você terá acesso a uma plataforma completa com alternativas de empreendimentos imobiliários para iniciar no investimento coletivo.

Só falta você assinar nossa newsletter. Basta clicar aqui para se inscrever e saber tudo sobre o mundo dos investimentos. Ah, e não se esqueça de nos seguir nas redes sociais.

Publicações relacionadas