Entenda o que é BDR, quando e como investir nesse tipo de ativo.

Sabemos que o mercado financeiro brasileiro oferece diversas opções atrativas de investimento. Entretanto, para diversificar os investimentos e aumentar o potencial de retorno de uma carteira, muitos investidores buscam novas maneiras de investir no exterior. 

Por isso, os BDRs tornaram-se um investimento acessível e seguro para todo investidor que deseja aplicar seu dinheiro em empresas listadas em outros países. 

Confira a seguir o que significa BDR e quais são as vantagens e desvantagens em investir nesse tipo de investimento.

Aproveite e cadastre-se em nossa newsletter e fique por dentro das novidades do universo financeiro.

O que é BDR?

Antes de detalhar as características técnicas, é preciso definir o que é BDR. Basicamente, essa sigla é utilizada para designar o termo Brazilian Depositary Receipt, que pode ser traduzido para o português como Recibo de Depósito Brasileiro, e em correta definição, Certificado de Depósito de Valores Mobiliários. 

Isto é, um certificado de depósito emitido e negociado na Bolsa de Valores Brasileira (B3), que representa ações de empresas listadas em bolsas estrangeiras. 

O BDR é um título negociado no mercado de renda variável brasileiro, e está disponível na B3.

Eles permitem que os investidores brasileiros comprem ações de companhias internacionais e, aos poucos, têm se tornado mais acessíveis para todos os tipos de investidores.

Para compreender melhor basta pensar que os BDRs se assemelham aos valores mobiliários lastreados em papéis de companhias estrangeiras, porém também nas empresas brasileiras. Isso significa que, quem adquire um BDR não compra ações diretamente de empresas no exterior. 

Como funciona o BDR?

O BDR é uma grande oportunidade para aqueles que desejam aplicar o seu dinheiro em grandes empresas de renome internacional.

Caso você já tenha pensado em investir em empresas como Apple (AAPL34), Amazon (AMZO34), Netflix (NFLX34), Microsoft, Tesla (TSLA34), entre outras, mas não o fez por não saber por onde começar ou por não acreditar que este produto não seria para você, saiba que é possível começar a investir no exterior por meio da própria Bolsa brasileira. 

Uma novidade é que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em 2020, promoveu mudanças nas regras permitindo que qualquer investidor brasileiro possa ter o direito de negociar o produto sem ter que abrir uma conta ou pagar imposto no exterior. 

Quando o investidor adquire um BDR, ele passa a ter um certificado emitido por uma instituição depositária que representa a ação da companhia.

As instituições depositárias são responsáveis por adquirir as ações BDRs e fazer a custódia delas, mantendo-as bloqueadas e guardadas, emitindo os certificados que representam estes ativos para serem negociados na BV.

O retorno das BDRs são dados pela variação de preços das ações e pela variação da moeda, já que não existe proteção cambial para esse tipo de investimento.

Uma ação de uma empresa no exterior pode corresponder a um ou mais BDRs no Brasil. Isso significa que para ter acesso a vários papéis o investidor pode comprar apenas um BDR. 

Basicamente, os BDRs são vistos como uma ponte que liga os investidores nacionais aos principais players do mundo.

Os recibos do BDR permitem:

  • a captação de recursos no ambiente internacional;
  • a facilidade no processo de internacionalização do mercado; do ponto de vista do financiamento das organizações;
  • a diversificação da carteira de investimentos.

Aprenda mais sobre diversificação de investimentos: como manter seus investimentos mais seguros e rentáveis. Leia este artigo aqui.

Quais são os principais tipos de BDR?

Como vemos, o BDR é uma forma que o investidor brasileiro tem para investir de maneira indireta em empresas listadas fora do país. 

Eles podem ser: BDR patrocinado e BDR não patrocinado. Veja detalhes a seguir!

BDR patrocinado

O BDR patrocinado é aquele em que a própria empresa estrangeira tem interesse em negociar os recibos no Brasil. Ou seja, a companhia busca instituições parceiras para viabilizar a emissão de BDRs na bolsa brasileira.

Os BDRs desse tipo podem receber diferentes classificações de nível — de acordo com as normas da CVM.

BDR não patrocinado

A maior parte dos BDRs disponíveis na B3 são do tipo não patrocinado. Isso significa, basicamente, que a iniciativa a decisão da emissão não parte da empresa estrangeira, mas sim da instituição depositária.

Conheça mais sobre quais são os tipos de investimento mais adequados para seus objetivos. Acesse aqui. 

Qual a vantagem em investir em BDRs?

Entender as vantagens e desvantagens em investir em BDRs é fundamental para que você possa identificar se o ativo se encaixa no seu perfil de investidor, perfil de risco e com os seus objetivos na renda variável.

Uma das vantagens dos BDRs é a possibilidade de diversificação da sua carteira, investindo em papéis que não estão na Bolsa de Valores, por meio do seu home broker. 

Com esse ativo, você pode maximizar o potencial de retorno de suas aplicações e, principalmente, reduzir os riscos. 

Além disso, investir em BDRs permite que o investidor faça aplicações no mercado internacional, sem que haja a necessidade de abrir uma conta no exterior nem transferir recursos para outro país.

Sabendo disso, qual a melhor escolha a fazer? Continue a leitura e entenda.

Investir em ações BDRs ou diretamente na bolsa de valores estrangeiras? 

O investidor que decide diversificar a sua carteira de investimentos com opções no exterior pode questionar qual seria a melhor opção: investir em BDRs ou diretamente na bolsa de valores estrangeiras? 

Ambas são bastante conhecidas, mas têm características específicas que devem ser consideradas para garantir a melhor opção de investimento para seu perfil.

Basicamente, o investidor que adquire BDR não é o dono da ação emitida pela empresa. Quando você compra um ativo listado no mercado de ações brasileiro, você se torna acionista da empresa emissora.

Confira o que avaliar na hora de investir em BDRs

Por tratar-se de um investimento em renda variável, o primeiro passo para investir em BDR é conhecer o seu perfil de investidor. Além disso, avalie os critérios abaixo:

  • BDRs têm baixa liquidez: a negociação de uma BDR é mais baixa, comparada com as ações no exterior;
  • O investidor não é dono de ações de verdade: quem investe em uma BDR não está de fato adquirindo uma ação, e sim cotas menores de uma ação que pertence ao ativo;
  • O retorno do investimento de BDRs é menor do que o da Bolsa: na prática, a ação da empresa na bolsa americana terá um rendimento superior, quando comparado às BDRs;
  • Acesso às melhores empresas do mundo: há diversas excelentes empresas nas quais você pode investir por meio de BDRs. Avalie!

Resumidamente, quando comparada às ações as BDRs tem algumas desvantagens, como:

  • a tributação;
  • baixa liquidez;
  • custo alto para o recebimento;
  • menor retorno no investimento;
  • restrição em relação aos possíveis investidores.

Conclusão

Como pudemos observar, os BDRs são utilizados como mecanismo de diversificação da carteira com bons potenciais de retorno.

Já que estamos falando em diversificar é importante avaliar para quais perfis de investidor os BDRs são adequados, uma vez que esse ativo normalmente não faz parte da lista dos perfis mais conservadores, já que  não costumam estar abertos a ativos mais arriscados.

Além disso, é importante que o investidor esteja atento para avaliar os riscos e o mercado internacional ao fazer suas escolhas.

Portanto, você precisa fazer uma análise para entender se esse investimento é vantajoso e se faz sentido para a sua carteira.

Um dica para começar a investir, se você não tem muita experiência no assunto, são as plataformas de investimento coletivos. Com uma aplicação de apenas R$1000 você pode começar a investir agora. Clique aqui e abra uma conta com a INCO. Realize seu cadastro gratuitamente na plataforma e comece a investir seu dinheiro agora mesmo.

Vale também acessar nosso material gratuito sobre o mercado financeiro. É só clicar e baixar o Glossário do Mercado Financeiro de A a Z com 104 termos que qualquer investidor precisa conhecer. 

Publicações relacionadas