A taxa mínima de atratividade é um indicador fundamental para quem deseja entender se vale a pena ou não fazer uma aplicação financeira.

As avaliações financeiras de projetos de investimentos são premissas básicas para a tomada de decisão de quem deseja começar a investir. 

Por isso, esse indicador tem grande relevância para os investidores que buscam produtos financeiros ou projetos mais arriscados para aplicar seu dinheiro, visto que há uma certa expectativa de ter uma alta rentabilidade na hora de fazer uma aplicação.

Ficou curioso para entender  o que é a Taxa Mínima de Atratividade e como usar esse indicador para avaliar um investimento. Confiral!

Antes, que tal acessar nosso material gratuito sobre os crowdfundings de investimentos aqui. É só clicar.

crowdfunding-de-investimentos

O que é a taxa mínima de atratividade (TMA)

Basicamente, a taxa mínima de atratividade (TMA) é a taxa que representa o mínimo que um investimento deve remunerar para que seja considerado viável economicamente.

Isto é, a TMA possibilita que o investidor avalie os riscos na hora de planejar os investimentos além de auxiliar na tomada de decisões, pois ela apresenta uma rentabilidade percentual que pode ser interessante para quem deseja investir.

É preciso levar em conta, ainda, os aspectos de risco inerentes ao tipo de investimento. Como os investimentos são decisões tomadas fundamentalmente em relação ao futuro, é sempre necessário que se inclua uma avaliação do risco no estudo da viabilidade econômica do investimento.

Se você fez alguma pesquisa e análise de custos antes de fazer um investimento, provavelmente calculou a taxa de retorno mínima de atratividade. É que o conceito de TMA está ligado diretamente aos conceitos de custo de capital e de custo de oportunidade.

Aproveite e entenda aqui qual a relação entre risco e retorno nos investimentos. Clique aqui

Mas afinal, o que é custo de capital?

O custo de capital é um conceito essencial para toda decisão financeira e pode ser entendido como o retorno médio exigido para toda a empresa.

O custo de capital para uma empresa pode ser usado como uma medida de avaliação da atratividade econômica de um investimento. Além disso, serve como referência para a análise de desempenho e viabilidade operacional de capital.

Conforme Neto; Lima e Araújo (2008):

O custo de capital é estabelecido pelas condições com que a empresa obtém seus recursos financeiros no mercado de capitais, sendo geralmente determinado por uma média dos custos de oportunidade do capital próprio (acionistas) e capital de terceiros (credores), ponderados pelas respectivas proporções utilizadas de capital, e líquidos do imposto de renda.

E o custo de oportunidade, como funciona?

Um custo de oportunidade é uma medida de grande relevância para a tomada de decisões financeiras, visto que leva em consideração o retorno de outras oportunidades para o uso dos tipos de investimentos em análise. 

Em outras palavras, esse conceito refere-se ao retorno da melhor oportunidade de investimento que fora abandonada quando da decisão de investir na empresa.

Como funciona a taxa mínima de atratividade: entenda

Segundo Assaf Neto (1992), “na seleção de investimento é necessária a definição prévia da taxa de retorno exigida, isto é, a taxa de atratividade econômica do projeto. Ao se trabalhar com métodos de fluxo de caixa descontado, a taxa de atratividade constitui-se no parâmetro de avaliação dos projetos, a meta econômica mínima a ser alcançada.”

Em termos práticos, por exemplo, quando o investidor escolhe um ativo financeiro de renda variável em vez de renda fixa, ele espera que a taxa mínima de atratividade seja maior do que os rendimentos dos investimentos mais “seguros”.

A TMA é útil, portanto, para avaliar se um investimento vale os riscos associados a ele. Para calcular a Taxa mínima de atratividade, você precisa examinar diferentes aspectos da oportunidade de investimento, incluindo as oportunidades de expansão da operação e a taxa de retorno dos investimentos.

Um investimento será bem-sucedido se a taxa de retorno real estiver acima da taxa de retorno mínima aceitável. Se estiver abaixo, é visto como um investimento mal-sucedido e você pode, como investidor, desistir de fazer o investimento.

Exemplo de aplicação da Taxa Mínima de atratividade

Para compreender o conceito da TMA, vamos supor a seguinte situação: Imagine que o investidor faça sua aplicação no investimento coletivo imobiliário e recebe 12% ao ano como rendimento.

Logo, quando for optar por um novo investimento, a tendência  será que o investidor aceite apenas um tipo de investimento com retorno maior do que 12% ao ano, uma vez que essa foi a rentabilidade já alcançada anteriormente. Claramente, pode-se dizer que a taxa mínima de atratividade para esse investidor é de 12% ao ano.

Você sabia que a INCO Investimentos, plataforma de investimento coletivo no mercado imobiliário, tem oferecido essa média de rentabilidade aos investidores? Aproveite, então, e descubra aqui. 

Como calcular a taxa mínima de atratividade?

Como dissemos anteriormente, a TMA é uma taxa de juros (Selic), que ao se fazer um investimento o investidor espera um retorno pelo menos igual a essa taxa.

Isso significa que ela é única para cada investidor (por isso a importância em saber qual seu perfil de investidor e as aplicações mais indicadas para se dar bem.), e não existe fórmula matemática para calculá-la, pois ela pode variar com o tempo.   

Segundo Weston e Copeland (1992), cada projeto de investimento possui sua própria TMA, devido ao seu nível de risco.

No entanto, quando se fala em Taxa Mínima de Atratividade é importante sempre ter em mente mais do que a TMA, e fazer uma análise mais aprofundada. 

Você deve levar em consideração:

  • A liquidez  (liquidez refere-se à acessibilidade de um investimento);
  • O risco  (risco refere-se ao potencial de perda que surge com qualquer decisão de investimento);
  • O custo de oportunidade (remuneração que seria obtida em outros investimentos não escolhidos).

Como você pode ver, o cálculo da taxa mínima de atratividade baseia-se em diferentes fatores, seja no que se refere ao investimento ou às condições apresentadas pelo setor econômico.

Muitos investidores podem achar que a Taxa Mínima de Atratividade é o único termômetro a ser usado para entender se a aplicação de capital em determinado ativo é a melhor escolha. 

No entanto, a Taxa Mínima de Atratividade é uma expectativa, e como muitos cálculos financeiros dependem de projeções as quais podem falhar, é necessário que esse indicador não seja o único a ser avaliado no momento da escolha. 

Para tanto, cabe ressaltar que, para saber se um investimento é viável, é recomendável que sejam analisados outros indicadores financeiros, como:

Descubra aqui 8 mentiras que você precisa deixar de acreditar sobre o mundo dos investimentos.

Conclusão

Vale lembrar que embora o mercado financeiro esteja cada vez mais regulado, nenhuma estratégia de investimento é livre de riscos.

Por isso, os investidores devem ficar atentos à dinâmica e regras específicas de cada mercado, a fim de buscar aplicar num investimento seguro e eficiente.

É necessário conhecer a estrutura do mercado financeiro, bem como o acompanhar suas tendências e o gerenciamento de risco, diversificando os ativos para minimizar o risco na hora de investir.

Ou seja, o que o investidor precisa é se munir do maior número de informações possíveis, para tomar a decisão de investir, onde e como avaliar se o investimento é seguro e rentável a longo prazo.

Agora que você já entendeu o que é a taxa mínima de atratividade, é hora de aprender como planejar suas finanças. 

Para isso, a Inco Investimentos preparou um curso completo para você sobre planejamento financeiro. Basta clicar aqui e acessar o curso completo.

E se você é novo no mundo dos investimentos e ainda não sabe como começar a investir, clique aqui para descobrir como é fácil e seguro aplicar o seu dinheiro no crowdfunding de investimentos imobiliários.

Aproveite e cadastre-se aqui para receber as oportunidades de investimentos para você.

CURSO PLANEJAMENTO FINANCEIRO INCO

Publicações relacionadas