Rebalancear sua carteira significa comprar e vender ativos para ajudar a manter o nível certo de risco de investimento com o qual você se sente confortável. Isso não apenas o mantém no caminho para atingir seus objetivos, mas também pode aumentar o retorno de seu portfólio.

O rebalanceamento de carteira sempre desempenhou um papel nas estratégias de investimento e é a melhor prática para a maioria dos investidores, porque permite que você controle seu nível de risco e tire proveito de um fenômeno conhecido como reversão à média.

O rebalanceamento torna-se necessário quando as mudanças nas necessidades financeiras de um investidor levam a uma mudança na alocação de ativos, ou quando está monitorando uma estratégia e deseja garantir que todos os investimentos sejam devidamente ponderados de acordo com sua meta. Esse processo garante que os investimentos sejam devidamente ponderados após movimentos recentes de preços, além de aliviar o risco da carteira.

Vamos compreender mais a importância de fazer o rebalanceamento da carteira de investimentos. Boa leitura!

Aproveite e fique por dentro de mais conteúdo sobre investimentos e o mercado financeiro, clicando aqui.

como ter liberdade financeira

O que é o rebalanceamento da carteira de investimentos?

O rebalanceamento é o ato de mudar seus investimentos para voltar à alocação de ativos com a qual você está mais confortável. Sua alocação de ativos é a combinação de títulos que você tem em sua carteira com base em sua tolerância ao risco, objetivos e cronograma. Por exemplo, se você é muito avesso ao risco, é melhor ter principalmente títulos e dinheiro em sua carteira.

Existem duas razões para o rebalanceamento:

  1. Uma é restaurar a proporção de tipos de ativos que você projetou para ter seu portfólio. 
  2. Outra é modificar essa proporção porque seus objetivos de investimento evoluíram e você deseja que seu portfólio agora reflita essas escolhas mais recentes.

A ideia fundamental de comprar e manter é evitar negociações excessivas. Em vez disso, você define uma alocação estratégica de ativos e a acompanha ao longo dos anos. Isso o diferencia da seleção de ações e do timing de mercado.

Mas manter a mesma estratégia de portfólio ao longo dos anos é um desafio por si só. Mesmo sem mudanças ativas em seu portfólio, sua estrutura mudará com o tempo. Isso se deve aos movimentos de mercado das posições de carteira única. Isso pode causar um grande desalinhamento de sua alocação estratégica de ativos originalmente planejada. Se isso acontecer, é hora de rebalancear a carteira. 

As posições com ganhos fortes serão vendidas proporcionalmente e as posições que perderam valor serão compradas proporcionalmente. Isso trará seu portfólio de volta à sua alocação de ativos original.

Por que você precisa rebalancear seu portfólio?

O rebalanceamento é importante por dois motivos: gerenciamento de risco e melhores retornos. Um plano de alocação de ativos é projetado para atingir dois objetivos concorrentes: retornos ideais e risco mínimo. Sem o rebalanceamento, muitas carteiras se afastam dos títulos e passam a investir em mais ações ao longo do tempo. 

Embora isso possa aumentar os retornos de longo prazo da carteira, também vai adicionar um risco significativo. Isso pode, por exemplo, tornar as máximas do seu portfólio mais altas e as mínimas muito mais baixas. Dependendo do seu cronograma, objetivos e capacidade de lidar com potenciais perdas curtas, este maior nível de risco pode inviabilizar seus planos financeiros.

Além de manter seu risco sob controle, o rebalanceamento pode realmente melhorar seus retornos de investimento quando você reequilibra duas ou mais classes de ativos com retornos esperados de longo prazo semelhantes .

O rebalanceamento entre fundos de pequenas empresas, mercados emergentes e REITs , por exemplo, pode aumentar seus retornos à medida que você vende um que está apresentando um bom desempenho para comprar mais de outro que está apresentando um desempenho ruim agora, mas historicamente oferece retornos semelhantes. Nesse caso, você pode estar vendendo na alta e comprando na baixa, o objetivo final do investimento.

Quando você deve rebalancear a sua carteira?

Existem duas abordagens gerais para a frequência com que você deve rebalancear seu portfólio: 

  1. A abordagem mais simples é baseada no tempo. Você pode rebalancear seu portfólio uma vez por trimestre, uma vez a cada seis meses ou talvez uma vez por ano. Além da simplicidade, essa abordagem remove fatores psicológicos que podem fazer com que os investidores façam alterações em sua carteira durante flutuações extremas do mercado.
  1. A segunda abordagem – recomendada por muitos consultores financeiros – é rebalancear com base nos limites de tolerância. Por exemplo, você pode rebalancear uma classe de ativo quando sua alocação se desviar da alocação planejada em 20% ou mais.

Vamos supor que um plano de alocação de ativos inclua 10% em empresas de pequena capitalização (small caps). Vinte por cento dessa alocação é de 2%. Se você usar um limite de tolerância, será rebalanceado quando a alocação de ativos de pequena capitalização cair abaixo de 8% ou acima de 12%. Em ambos os casos, a classe de ativo teria se desviado da alocação do plano em 20%. Se uma classe de ativos compreendesse 50% de um portfólio, você faria o rebalanceamento quando essa classe de ativos caísse abaixo de 40% ou acima de 60%.

Usar limites de tolerância para rebalancear um portfólio tem vários benefícios. Em primeiro lugar, é um padrão que, semelhante a uma abordagem baseada no tempo para rebalanceamento, remove as emoções da decisão dos investidores. Em segundo lugar, ele é rebalanceado com base no desempenho real de uma determinada classe de ativos, não em um período de tempo arbitrário.

Fato é que, não existe um método certo ou errado, mas, a menos que o valor do seu portfólio seja extremamente volátil, o rebalanceamento uma ou duas vezes por ano deve ser mais do que suficiente.

Afinal, por que equilibrar e rebalancear um portfólio é tão importante?

O objetivo de equilibrar um portfólio é atingir as proporções desejadas de risco e potencial de retorno em seu portfólio de investimentos.

Quando você projeta e compromete fundos para uma estratégia de investimento, isso é conhecido como alocação de seus ativos. Como um exemplo simplificado, você pode querer ter 70% de sua carteira em ações e 30% em títulos. Quando você inicialmente financia seu portfólio dessa maneira, pode-se considerar um portfólio equilibrado.

O problema é que, com o tempo, essas alocações em seu portfólio não permanecem as mesmas. Digamos que o valor do mercado de ações dobre em cinco anos, enquanto o valor do mercado de títulos cresce, mas não tanto. O valor das ações em sua carteira se tornaria muito maior do que o valor dos títulos, o que colocaria sua carteira de investimentos significativamente fora de equilíbrio.

Você pode e deve rebalancear  sua conta de investimento para manter um portfólio equilibrado ao longo do tempo. Se sua tolerância original ao risco o estimulou a investir 70% de seu dinheiro em ações, então seu portfólio rebalanceado deve ser de 70% em ações novamente.

Rebalancear minha carteira de investimentos: sim ou não? Eis a questão!

Como já dissemos neste artigo sobre perfil de investidor, cada investidor é diferente. Alguns são mais arrojados, outros mais conservadores, outros mais moderados; alguns querem usar seu dinheiro para a aposentadoria enquanto outros querem tê-lo em mãos para comprar uma casa; algumas pessoas têm uma alta tolerância ao risco, outras menos etc. 

Quando os investidores definem sua estratégia de investimento, eles levam variáveis ​​como essas em consideração e decidem onde colocar seu dinheiro. Isso é chamado de alocação de ativos. Mas o problema com a alocação de ativos é que ela requer manutenção. Você tem que rebalancear seu portfólio.

O rebalanceamento de carteira é algo que deve acontecer ao longo de sua vida de investimento. Alguns rebalanceamentos são para garantir que você mantenha a alocação configurada inicialmente. E outros farão o rebalanceamento de portfólio porque seus objetivos mudarão com o tempo – você vai querer ser mais conservador com seu dinheiro à medida que se aproxima da aposentadoria, por exemplo. Conforme sua alocação de ativos muda, você precisará fazer o rebalanceamento do portfólio.

Quais são os prós? Um dos maiores prós do rebalanceamento de portfólio é que ele mantém o risco sob controle!

Lembre-se que, antes de comprar ou vender um único título, você precisa ter certeza de que pode fazer o rebalanceamento. Você pode cobrir as taxas que talvez tenha de pagar adiantado para comprar um novo ativo ou vender um que já possui? Também é uma boa ideia observar a proporção de despesas dos títulos nos quais você está interessado. Isso indica qual porcentagem de seus ativos está destinada a taxas de administração.

Conclusão

Vimos que rebalancear a carteira auxilia a equilibrar o portfólio de investimentos. Resumindo:

  • O rebalanceamento ajuda a garantir que seu portfólio permaneça alinhado com seus objetivos de investimento, apesar dos movimentos do mercado
  • Reduz o risco evitando a exposição excessiva a ações e incute bons hábitos ao desenvolver a disciplina para seguir um plano financeiro de longo prazo.

É importante rebalancear seu portfólio regularmente para respeitar sua tolerância a riscos, metas de investimento e horizonte de tempo desejado. 

Caso contrário, seu portfólio se desviará gradualmente do caminho escolhido. Se você quiser alterar sua alocação de ativos em algum momento, você pode fazer isso, mas deve ser planejado e de acordo com seu perfil de investidor.

Aproveite para saber mais sobre o crowdfunding imobiliário, uma alternativa de investimento com renda fixa no mercado imobiliário com rentabilidade de até 18% ao ano. Clique aqui.

Baixe nosso material gratuito sobre o mercado financeiro aqui. É só clicar.

Publicações relacionadas