Existem muitas coisas que os investidores não podem controlar. Não temos controle sobre os mercados, nem aos altos e baixos da inflação etc. No entanto, existe uma parte crítica do investimento que podemos controlar: reduzir ao mínimo ou eliminar as taxas de administração dos investimentos que fazemos.

Por isso, antes de investir, é importante dedicar um tempo para entender todas as taxas de administração associadas ao seu investimento.

A taxa de administração é o pagamento pelo trabalho de gestão de um fundo de investimentos, isto é, ela incide sobre o valor total investido: capital + rendimentos.

Os investidores que buscam obter a melhor relação custo-benefício possível podem empregar uma série de técnicas e ferramentas para ter sucesso na hora de investir, e compreender o que é e como avaliar a taxa de administração é importante.

Por isso, vamos mostrar neste blog, como as taxas de administração funcionam e qual realmente é o impacto delas na rentabilidade.

Você quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro? Assine a nossa newsletter e receba conteúdo informativo sobre o mercado financeiro. Clique aqui.

newsletter-mercado-financeiro

O que é a taxa de administração?

Para quem não é especialista no mercado financeiro ou está começando a investir em fundos de investimento, por exemplo, é importante ter um gestor que conheça o mercado para administrar de forma eficiente e estratégica. Afinal, tudo o que você deseja é obter mais rentabilidades, certo? 

Para isso, no entanto, é preciso remunerar o gestor e administrador do fundo que vai fazer a gestão e administração do capital do investidor. A taxa de administração é exatamente isso.

Elas são usadas também para pagar outros prestadores de serviço que trabalham no investimento.

Como a taxa de administração é cobrada?

No setor de gestão de investimentos, as taxas de administração são a norma entre todos os tipos de oportunidades de investimento. Em troca do pagamento de taxas de administração, os investidores têm acesso à experiência e aos recursos de profissionais de investimento.

Os profissionais podem ajudar os investidores a alocar risco, reequilibrar carteiras ou fornecer consultoria de investimento personalizada.

A taxa de administração também pode cobrir despesas relacionadas ao gerenciamento de uma carteira, como operações de fundos e custos administrativos. A taxa de administração varia, dependendo de fatores como estilo de gestão e tamanho do investimento.

Apesar de ser mais comumente destacada em fundos de investimentos, a cobrança da taxa de administração costuma estar presente em aplicações de:

  • renda fixa;
  • fundos de investimento;
  • consórcios;
  • fundos multimercados;
  • fundos de ações, entre outros produtos financeiros administrados diretamente por uma instituição financeira.

As taxas de administração são uma peça importante do quebra-cabeça ao decidir entre vários fundos de investimentos. Por isso, é fundamental avaliar como cada instituição administradora define o percentual que incidirá no fundo administrado por ela.

Cabe destacar que a taxa de administração de investimento normalmente é expressa em um percentual anual (% a.a.).

Quem determina a taxa de administração de um fundo?

De acordo com a Instrução CVM 555/2014, a taxa de administração é a “taxa cobrada do fundo para remunerar o administrador do fundo e os prestadores dos serviços previstos no art. 78, § 2º, excetuado o inciso VI e observado o art. 85, § 7º”.

Além da taxa de administração temos outras taxas. Confira:

XLIV – taxa de performance: taxa cobrada do fundo em função do resultado do fundo ou do cotista;

XLV – taxa de entrada: taxa paga pelo cotista ao aplicar recursos em um fundo de investimento, conforme previsto no regulamento;

XLVI – taxa de saída: taxa paga pelo cotista ao resgatar recursos de um fundo, conforme previsto no regulamento. (Instrução CVM 555/2014)

O que é a taxa de performance: benchmarking financeiro

Vale lembrar que a taxa de administração é diferente da taxa de performance. Ou seja, além da taxa de administração, os gestores também cobram uma tarifa adicional quando seu desempenho ultrapassa o do benchmark escolhido. Essa tarifa é a chamada taxa de performance

Os benchmarks são importantes porque fornecem comparações significativas aos proprietários de ativos para avaliar como seus portfólios estão alinhados com:

  • suas metas e objetivos;
  • apetite de risco e capacidade para perdas;
  • progresso em relação às suas metas e objetivos; 
  • disposição e capacidade para aceitar períodos de baixo desempenho, especialmente quando a meta está sendo alcançada.

Saiba mais sobre o efeito de longo prazo dos encargos e taxas de fundos sobre o retorno de seus investimentos e como economizar dinheiro.

A taxa de administração afeta a rentabilidade?

Normalmente, a diferença nas taxas deve-se ao método de investimento utilizado pelo gestor do fundo. Sendo assim, quanto mais gerido ativamente for um fundo, maiores serão as taxas de administração normalmente cobradas. 

Os administradores de fundos de hedge, por exemplo, são famosos pelas altas taxas que cobram. Sua estrutura de taxas é comumente referida como “dois e vinte” porque consiste em 2% do valor total do ativo e 20% de participação em todos os lucros.

Se você não tomar cuidado, porém, essas taxas podem corroer suas economias a uma taxa muito mais alta do que deveriam, deixando-o aquém de suas metas de longo prazo.

As taxas de gerenciamento do seu investimentos aumentam com o tempo e afetam mais seus lucros com o passar do tempo. Além disso, as taxas de administração estão diretamente relacionadas ao tamanho da carteira. Quanto maior a carteira e mais tempo, mais o investidor paga.

O alto custo das pequenas taxas para investimentos de longo prazo

Sabe-se que taxas que parecem insignificantes podem reduzir substancialmente sua riqueza a longo prazo. Além disso, estudos têm mostrado que investimentos que cobram taxas mais altas frequentemente apresentam desempenho inferior aos investimentos que cobram taxas mais baixas.

Uma dessas pesquisas recentes da Morningstar revelou uma relação interessante: revelou que taxas baixas tendem a gerar retornos mais altos para o investidor. Por exemplo, a pesquisa descobriu que nos fundos de ações mais caros, os retornos dos investidores ficaram abaixo dos retornos totais em 2,2% (3,59% contra 5,79%). Em contraste, nos fundos menos caros, a diferença era a metade (6,56% vs 7,66%).

Portanto, para obter uma imagem clara do impacto cumulativo que as taxas podem ter sobre uma carteira de investimentos, é necessário ter uma perspectiva de longo prazo.

Mantenha-se atualizado com as tendências de preços na hora de escolher um investimento

Certas estratégias e setores podem demonstrar movimento considerável nas taxas, custos e prazos dos gestores de ativos ao longo de períodos específicos, enquanto outros permanecem mais estáveis. Uma visão analítica dessas dinâmicas pode facilitar a renegociação ou uma mudança no gestor.

Antes de investir, analise as exposições aos fatores de risco

Nos últimos anos, assistimos a avanços consideráveis ​​na análise de risco que pode ser aplicada às carteiras. Essas ferramentas analíticas podem ajudar a melhorar a diversificação, aumentar os retornos ajustados ao risco e reforçar a gestão de risco.

Os investidores devem considerar todos os aspectos das taxas: taxas de administração, taxas de desempenho, obstáculos, recuperações e – em estratégias ilíquidas – se as taxas estão sendo pagas sobre o capital investido ou comprometido. 

Todos os aspectos são significativos e devem ser vistos em combinação. Uma série de empresas (consultores e gestores de ativos) têm defendido um maior uso de taxas baseadas no desempenho ou taxas relacionadas ao desempenho. 

Quando planejados e administrados com cuidado, eles podem ser úteis. No entanto, eles também podem criar novos problemas de alinhamento. Quando um investidor deseja usar taxas de desempenho, vale a pena considerar uma abordagem seletiva, com classes de ativos específicas onde podem ser mais benéficas.

Como evitar pagar taxas de administração na hora de investir?

Para os investidores que não desejam pagar taxas de administração, é possível evitá-las por meio de investimentos que não cobram essa taxa. 

O investimento em financiamento coletivo imobiliário, por exemplo, permite que os investidores invistam no mínimo R$ 500,00 (quinhentos reais) e tenham rentabilidade de até 18% ao ano, eliminando a necessidade de profissionais de investimento e quaisquer taxas de administração. Quer saber mais? Clique aqui 

Conclusão

Você viu até aqui que as taxas de administração que você paga sobre seus investimentos dependem do tipo de investimento que você possui.

Vimos também que, ao investir em certos tipos de fundos de investimento, você não é responsável por comprar as ações e títulos subjacentes – esse trabalho é deixado para os profissionais – mas normalmente é cobrada uma taxa por esses serviços.

Deseja investir e não pagar nenhuma taxa de administração ou para gerir seu dinheiro? Invista com a INCO!

Acesse a plataforma de crowdfunding imobiliário, uma alternativa de investimento com renda fixa. Clique aqui.

Não se esqueça de baixar nosso material gratuito sobre o mercado financeiro aqui.

mercado-financeiro

Publicações relacionadas