Saber identificar golpes financeiros nem sempre é tarefa fácil, mas com algumas dicas é possível evitar esse prejuízo.

A pandemia da Covid-19 e as medidas de isolamento social, iniciadas em março do ano passado, impulsionaram as pessoas a fazerem uso de canais digitais para pagar contas, fazer transferências, contratar crédito, investir etc.  

Segundo a Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN), em 2021, as transações realizadas no mobile banking representaram mais da metade (51)% do total das operações  feitas no país.

Entretanto, ainda conforme o órgão, houve também um aumento de 44% em golpes financeiros que usam nomes de bancos ou instituições financeiras para roubar dados e movimentar dinheiro das vítimas.

Fato é que o ambiente digital facilita a ação de estelionatários, e isso ocorre por diversos fatores. Embora não possamos impedir a ocorrência de golpes financeiros e fraudes, existem alguns cuidados que você pode ter para limitar suas chances de se tornar uma vítima, começando com a consciência sobre os golpes financeiros que estão por aí. Continue a leitura e saiba mais.

Antes, aproveite e assine nossa newsletter para ficar por dentro de todas as novidades do mercado financeiro. Clique aqui e cadastre-se.

Como funcionam os golpes financeiros?

Geralmente, as fraudes estão relacionadas à questões financeiras, mas também podem ser de roubo de identidade ou documentos.

A questão é que os criminosos estão cada vez mais convincentes nas abordagens, seja por e-mail, telefone ou whatsapp. Por isso, é importante desconfiar de contatos por telefone ou por Whatsapp pedindo dados ou dinheiro. 

Além disso, desconfie de supostos investimentos que pareçam ser extremamente lucrativos e oferece ganhos rápidos. Te ofereceram altos retornos e nada de risco? Desconfie.

A maior parte dos ataques segue o modelo do phishing, no qual a vítima é induzida a dar suas informações. 

Com o ambiente digital a ação de estelionatários tornou-se ainda mais fácil. Isso porque há diversas maneiras de conseguir enganar a população, como a criação de páginas com endereço de URL muito semelhante ao de instituições financeiras e o envio de e-mails com promoções quase que irrecusáveis.

Os golpistas usam de diversas táticas para que a pessoa revele dados confidenciais, como senhas, número do cartão, e-mail, dados bancários etc. Dessa forma, eles conseguem acesso à conta e se passam pelo cliente, usando os dados para compras online com o cartão, por exemplo.

Na maioria dos casos de phishing bem-sucedidos, há um excelente uso de engenharia social, que se define como uma estratégia que tem por objetivo manipular a vítima de forma que ela venha a entregar seus dados, sem que ela perceba que está caindo em um golpe.

A ideia é passar um senso de urgência à mensagem,  fazendo a pessoa sentir que ela deve tomar decisões imediatamente, sem poder racionalizar muito. É aí que mora o perigo. Fique alerta em situações assim!

Conheça alguns dos principais golpes financeiros e fique alerta

Falso site de cadastro do Pix

A novidade que chegou para facilitar a vida dos brasileiros, agora virou uma manobra para os criminosos usurparem os clientes bancários.

Normalmente, eles criam sites falsos e pedem aos clientes para preencherem um formulário para, supostamente, conseguirem sua chave Pix, mas na verdade estão roubando os dados bancários do usuário. 

Por isso, é importante saber que, para registrar sua chave Pix, que pode ser e-mail, celular ou CPF, você precisa acessar o site ou aplicativo de uma instituição financeira com sua senha e nome de usuário. Essas chaves é que são sua identificação. Sendo assim, fique atento a qualquer solicitação suspeita.

Uso de dados para empréstimos e financiamento

Proteger nossos dados pessoais, é muito importante. E para isso, criaram a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais. 

No entanto, mesmo com uma legislação específica, ainda há muitas pessoas que se tornam vítimas de golpes financeiros devido ao uso indevido de suas informações.

Fique atento com quem pega seus documentos com dados pessoais, eles podem usar para receber crédito ou fazer um pedido de empréstimo com o CPF da vítima.

Para não cair nesse tipo de golpe:

  • Verifique a segurança dos sites em que você está inserindo os seus dados;
  • Avalie o local que você está acessando a conexão de internet, por exemplo.

Golpe da clonagem do cartão de crédito

Um dos golpes financeiros mais conhecidos é a clonagem do cartão de crédito. Agora com o universo digital, essa prática ficou ainda mais fácil.

Por isso, é crucial proteger-se do mundo on-line. 

  • Para isso, cuidado ao fornecer dados pessoais e do cartão para sites falsos ou links que não sejam da instituição financeira.
  • Confira o domínio da página na qual a operação está sendo feita, pois isso trará mais segurança para as transações.

Por outro lado, no offline, os golpistas acabam ligando para a vítima passando por um atendente do banco ou da empresa do cartão de crédito, afirmando que uma compra suspeita foi realizada e que, por isso, é preciso digitar o código de segurança, senha ou conferir dados pessoais.

Na dúvida, desligue o telefone e ligue para a instituição financeira. E jamais passe seus dados.

Golpe do motoboy

Cuidado com o “golpe do motoboy”! Esse apelido é usado quando o criminoso entra em contato e diz que há um problema com seu cartão e que enviará  alguém para retirá-lo. 

Lembre-se: Nenhum banco, fintech, ou instituição financeira manda buscar cartão. Fique alerta!

Como me proteger de golpes financeiros?

Não existe receita pronta, mas você pode ter alguns cuidados básicos para se proteger da maioria dos casos de phishing:

  • Confie em seu instinto. Caso uma oferta, negócio, investimento ou parceiro em potencial parecer “bom demais para ser verdade”, provavelmente é um golpe financeiro;
  • Baixe apps apenas pelas lojas oficiais e nunca instale nada no seu celular a partir de um link;
  • Sem pressa. Mesmo que você se sinta tentado por uma oferta ou negócio, ou preocupado com um e-mail que parece ser do seu banco, pare cinco minutos para pensar. Não clique automaticamente em um link; em vez disso, pegue o telefone e ligue para aquela instituição se você estiver preocupado;
  • Se for sobre investimentos, insista em ter tempo para buscar aconselhamento antes de tomar qualquer decisão – uma empresa legítima não irá pressioná-lo. Sempre faça login diretamente em um site, em vez de clicar nos links de um e-mail, e verifique se o site é seguro;
  • Não entregue dinheiro ou assine nada antes de verificar completamente as credenciais de alguém e a da empresa. E não confie apenas em depoimentos de pessoas desconhecidas; em vez disso, encontre evidências sólidas e independentes do sucesso da empresa ou da pessoa;
  • Nunca envie dinheiro para alguém que você não conhece ou não confia, nem use um método de pagamento com o qual você não se sinta confortável;
  • Proteja suas informações pessoais. Nunca forneça dados bancários ou pessoais a alguém que você não conhece ou não confia;
  • Seja inteligente em termos de senha. Não escolha seu aniversário ou número de telefone como senha para nada. Certifique-se de ter senha forte de forma que os golpistas não consigam adivinhar;
  • Não use a mesma senha para sites diferentes e mude-os regularmente.

Finalmente, se você detectar um golpe ou tiver sido enganado, denuncie ao seu banco, à polícia e às empresas que estejam relacionadas.

O que devo fazer se for vítima de um golpe financeiro?

A primeira coisa a fazer, se você foi vítima de um golpe financeiro, é entrar em contato com o seu banco ou a instituição financeira que você tem vínculo o mais rápido possível. Eles podem cancelar seu cartão existente e emitir um substituto, por exemplo. Muitos bancos têm aplicativos ou um processo online que permite que você cancele seu cartão.

Ah, e vale lembrar que todos somos suscetíveis a cair em algum golpe, por isso, não se sinta envergonhado, caso tenha caído em algum. Lembre-se que são criminosos, que usam métodos sofisticados para atacar as vulnerabilidades das pessoas e roubar seu dinheiro. Denunciar torna mais difícil para eles enganar outras pessoas.

Faça isso! Quanto mais rápido agir, mais rápido você protegerá o seu dinheiro. Denuncie o problema à polícia, faça um boletim de ocorrência, pois é importante se resguardar de prejuízos futuros.

Conclusão

Conhecer as artimanhas dos golpistas te ajuda a evitar prejuízos e a não cair em ciladas. Atendtando-se às dicas acima, você vai aprender a não cair em golpes financeiros. 

Lembre-se que seus  dados são a chave para acessar suas finanças. Não confie em ninguém.

A Inco sempre alerta a ter medidas preventivas antes de fazer qualquer tipo de investimento ou compartilhar dados pessoais. Saiba mais aqui.

Inclusive, os investidores que decidem investir conosco têm toda a segurança de seus dados e um atendimento exclusivo caso tenham dúvidas. 

A melhor forma de evitar cair em golpes financeiros é estar atento às informações da empresa. 

Então, se o seu objetivo é manter seu dinheiro em segurança, venha conhecer o modelo de investimento coletivo. Clique aqui e saiba mais.

Aproveite a baixe o e-book exclusivo da Inco, feito para você. Clique aqui.

Publicações relacionadas