Você sabe como aproveitar bem seu 13º salário e de maneira inteligente? Conhecida pelos mais antigos como uma Gratificação de Natal, o 13° salário garante que todo empregado com carteira assinada receba o dinheiro extra.

Apesar das datas comemorativas estarem à porta, o fim de ano sempre é relacionado a gastos e contas. Afinal, no início do ano seguinte chegam as contas como IPVA, IPTU e Imposto de Renda, por exemplo. Isso sem contar com as dívidas que acumulamos ao longo do ano. 

Mais que usar essa remuneração adicional para custear as férias e presentes de Natal, é importante se organizar para aproveitar seu 13º e investir para o futuro financeiro.

Por isso, para distribuir melhor o 13° salário é necessário montar um planejamento com previsão dos gastos para acabar o ano sem dívidas, além de fazer um levantamento de onde você pode investir.  Continue lendo para saber como aproveitar seu 13º salário da melhor maneira e investi-lo com segurança.

Acesse aqui um curso completo para te ajudar a fazer seu planejamento financeiro e garantir sua estabilidade financeira.

CURSO PLANEJAMENTO FINANCEIRO INCO

O que é o 13º salário?

Implementado no Brasil no governo de João Goulart, em 1962, por meio da Lei 4.090/62, o 13º salário é pago a quem tem vínculo empregatício em caráter CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) com carteira assinada, incluindo os que tiveram jornada laboral reduzida na pandemia.

O pagamento do benefício é feito em duas parcelas: a primeira com data limite em 30 de novembro e a segunda até o dia 20 de dezembro. Normalmente esse valor deve ser pago em, no máximo, duas prestações.

Por conta do atual cenário de instabilidade em relação ao futuro da economia é fundamental ter mais atenção na hora de decidir como utilizar da melhor forma este recurso. 

É importante destacar que o benefício deve girar menos a economia e, em alguns orçamentos familiares ele será menor devido ao Covid-19 neste ano, em função do impacto que o Programa de Benefício Emergencial (BEM) terá sobre a base de cálculo. 

Descubra qual é a melhor estratégia para planejar o orçamento financeiro nessa época do ano e saiba onde investir seu 13º salário. Confira a seguir.

4 dicas de como aproveitar o 13º salário

Como 2020 foi um ano atípico e há pela frente um futuro incerto, é importante considerar rever a real situação das suas finanças pessoais e dívidas em atraso. Para tanto, leve em consideração os seguintes fatores a seguir:

1.  Estabeleça suas metas financeiras

Se você não sabe para onde quer ir ou o que deseja alcançar, não importa o caminho que você tomar. Você não vai chegar onde quer, porque não sabe o que quer. Assim, você nunca alcançará nenhuma meta financeira.

Estabelecer metas financeiras claras é fundamental para quem estiver fazendo um check-up financeiro para investir. Essas metas o ajudarão a decidir qual “caminho” seguir em seu futuro financeiro.

Conhecer o seu perfil de investidor é uma condição indispensável para quem deseja fazer algum investimento e estabelecer metas assertivas. A partir disso você saberá qual é a sua tolerância ao risco e o que você espera em termos de segurança, liquidez e rentabilidade.

2. Pague as dívidas

Aproveite o 13º salário para se reeducar financeiramente e pagar as dívidas, isso inclui dívidas de cartão de crédito em atraso. Uma das melhores maneiras de pagá-los mais cedo é fazer mais do que o pagamento mensal mínimo. 

Segundo um levantamento feito pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), o Brasil tem atualmente chegou a 66,6% de pessoas inadimplentes, com dívidas atrasadas– o maior percentual desde o início da série histórica, em 2010.

A queda expressiva dos juros e da inflação, o custo do crédito e a pressão sobre a renda devido à pandemia incentivou ainda mais o endividamento. 

Caso você tenha dívidas de cartão de crédito vale a pena ligar para o emissor do cartão para negociar. Acredite ou não, pedir taxas de juros mais baixas é bastante comum. E se você tem um histórico sólido de pagar suas contas em dia, há uma boa possibilidade de conseguir uma taxa de juros mais baixa ou até mesmo ser isento dela caso consiga pagar toda a dívida.

Portanto, se você deseja investir e aproveitar bem seu dinheiro, quitar as dívidas é prioridade para garantir um futuro financeiro saudável.

3. Reserve dinheiro para eventualidades

Quando você quitar sua dívidas é importante ter metas claras para suas economias. Além disso, identifique suas áreas problemáticas, pois isso te ajuda a criar estratégias para economizar dinheiro. 

Além de utilizar o 13º para compras e pagamento de dívidas você pode reservar parte desse valor para fazer aplicações ou outro tipo de investimento, o que pode ser muito útil para criar um fundo de emergência para situações inesperadas. Portanto, reserve parte do 13º para alguma possível eventualidade. 

4. Defina seu objetivo financeiro

Para aproveitar bem seu dinheiro é importante avaliar quais são os seus objetivos dentro do planejamento financeiro. Isso é importante para definir qual será o destino do seu 13º salário. Assim, você não corre o risco de gastar com compras por impulso.

Se você tem definido de forma clara quais são os seus objetivos, torna mais fácil usar o dinheiro para coisas importantes e que sejam prioridade.

Onde investir o 13º: aprenda a aplicar seu dinheiro 

Uma dúvida muito comum dos investidores iniciantes é sobre qual seria a melhor forma de investir o 13º salário. Diversificar é sempre a melhor resposta. Seja em renda fixa ou variável, ter uma carteira de investimentos variada é uma chance de obter boa rentabilidade com os investimentos. 

No entanto, o investidor precisa se atentar, primeiramente, ao seu perfil de investidor na hora de decidir qual produto financeiro adquirir. Além disso, analisar o cenário econômico é primordial pois te auxilia na hora de montar seu portfólio de aplicações.  É importante, também, levar em consideração o propósito do investimento e o grau de risco que você está disposto a correr.

Confira algumas possibilidades podem se destacar entre os melhores investimentos para 2021.

Renda variável

A renda variável está entre a mais procurada pelos investidores, já que a renda fixa devido à taxa Selic ter se estabilizado em 2% ao ano em 2020, gerando um baixo rendimento.

Opções não faltam. Você pode investir em Ações e em Fundos de Índice (ETFs) para aproveitar o desempenho do mercado. Os fundos de índice (ETFs), são uma alternativa mais recomendada para quem deseja aproveitar a expansão do índice de referência em uma retomada da crise, em meio ao potencial de retorno no curto prazo. Mas lembre-se que o mercado está muito volátil por conta do grau de incerteza do cenário epidemiológico. Portanto, é preciso ter paciência, comprar aos poucos e ver como os ativos se comportam. 

Existe uma forma fácil e rápida de investir bem e com segurança, que é com o crowdfunding imobiliário. Esse tipo de investimento está entre as mais promissoras oportunidades de negócio para o segmento nos próximos anos. 

O financiamento coletivo é para quem busca investimentos para aumentar seu capital, mas sem arriscar perder uma parte do seu patrimônio.

Em média a rentabilidade gira entre 12 e 15%. Esse tipo de investimento é mais rápido e flexível do que outros ativos, além de ser uma proposta de custo reduzido e fácil divulgação. Conheça mais aqui

Para investir no crowdfunding imobiliário basta ter R$1000 (mil reais) e fazer o cadastro em uma plataforma eletrônica de investimento participativo que faz a conexão entre ele e os projetos das incorporadoras. 

Você pode também apostar nos Fundos Imobiliários e de Multimercado. Mas é importante atentar-se para a volatilidade e a política de aplicação do gestor do Fundo e sua política e as oscilações do mercado antes de comprar uma quota.

Renda fixa

Como já falamos neste artigo aqui, a variação da taxa Selic e a da inflação podem afetar a rentabilidade dos seus investimentos, principalmente de renda fixa. Portanto para quem ainda pretende investir em recursos de renda fixa, os Debêntures, que apresenta como vantagem rendimentos acima da média na renda fixa.

O CRA (Certificado de Recebimento do Agronegócio) é um título de renda fixa que também pode fazer parte da sua carteira. Eles são interessantes pois possuem uma remuneração normalmente maior do que a dos títulos públicos.

Além dessas opções, para quem está começando e quer investir o 13º salário, o Tesouro Selic é um ativo interessante devido à sua rentabilidade ser atrelada à Taxa Selic. Assim, apesar de neste momento ter uma baixa rentabilidade por conta da Selic, é um investimento de renda fixa ideal para quem está começando a investir ou deseja guardar dinheiro para formar a reserva de emergência e aprender a se educar financeiramente.

Conclusão

Viu como é fácil e simples aproveitar bem o 13º salário e ainda investir?  

Fato é que existem diversas oportunidades para quem deseja investir o 13º salário e entrar 2021  com as finanças em equilíbrio.

Portanto, lembre-se que os melhores investimentos podem variar de acordo com os objetivos e estratégia de cada investidor.

E se você deseja investir na renda variável e garantir seu futuro financeiro, mas tem medo e não sabe como começar, acesse esse material preparado exclusivamente para você. Basta acessar aqui.

crowdfunding de investimentos

Publicações relacionadas