A tecnologia trouxe muitas mudanças em todas as esferas de nossa vida, e a financeira não é exceção. As empresas têm implementado ativamente soluções de tecnologia inteligentes para fornecer melhor atendimento ao cliente e simplificar várias operações monetárias.

Você percebeu como fizemos uma transição do banco tradicional para o digital? Temos a tendência de gerenciar nossas finanças usando aplicativos; até a moeda tornou-se digital.

E, provavelmente, já ouviu falar de dois conceitos chamados Techfin e Fintech, que continuam influenciando o sistema bancário e a maneira como as pessoas fazem negócios.

Então, quais são os recursos do Fintech e do TechFin especificamente? Quais são as semelhanças e diferenças entre Fintech e TechFin? Quais são as oportunidades e desafios da TechFin para o investidor, negócios/empreendedores? 

Nesta publicação, discutiremos sobre o que é Techfin e qual sua diferença das fintechs. Boa leitura!

Antes, que tal assinar gratuitamente nossa newsletter e ficar por dentro de todas as novidades do mercado financeiro.

O conceito de Techfin

Basicamente, TechFin é um serviço que trata da consultoria e automação de todos os negócios relacionados ao setor financeiro

Implica o uso de dispositivos tecnológicos para superar os métodos antigos de prestação de serviços financeiros.

Essas aplicações tecnológicas servem para reduzir custos, aumentar a produção e garantir o fluxo uniforme de todas as operações.

A crise financeira global de 2008 foi um fator chave para o fenômeno denominado “FinTech”, o qual experimentamos nos últimos anos. Desde 2008, o movimento FinTech tem sido impulsionado, principalmente por startups

As empresas Fintech começaram a oferecer soluções para resolver problemas específicos de serviços financeiros para consumidores.

Não demorou muito para que outras grandes empresas tecnológicas se juntassem à corrida oferecendo soluções também para seus clientes através da criação de processos e sistemas técnicos/digitais. 

Em 2016, o fundador do Alibaba, Jack Ma, entrou no setor de serviços financeiros na China com a criação da “Ant Financial”. Depois disso, tem sido frequentemente citado como o homem que cunhou o termo “TechFin”. 

Resumidamente, TechFin se refere a um serviço financeiro fornecido por uma grande empresa originalmente tecnológica com uma plataforma estabelecida e uma grande base de clientes.

Para que serve uma Techfin?

Quando se trata de clientes que são empresas, as techfins buscam uma área de atuação paralela às fintechs, uma vez que elas buscam associar-se tanto a instituições financeiras, como diversas empresas de outros segmentos, como comércio, saúde, educação etc. Eles buscam agregar à sua plataforma própria uma facilidade extra. 

Quando os bancos planejam utilizar a tecnologia para improvisar ou aprimorar os processos e operações financeiras existentes, seu foco permanece em como usar a tecnologia para obter eficiência e produtividade superior dos processos e operações financeiras existentes.

O mesmo é feito com o objetivo de ampliar a experiência e capacidades existentes no domínio dos serviços financeiros. Assim, as aspirações de transformação ou interrupção do processo são eliminadas.

A razão por trás das empresas TechFin não olharem para a ruptura é o fato de que seus clientes exigem:

  • Segurança;
  • Confiabilidade;
  • Estabilidade;
  • Legado.

Continue a leitura e entenda melhor a diferença entre fintech e techfin.

Qual é a diferença entre Techfin e Fintech?

Normalmente, Fintech se refere a uma instituição financeira que busca a melhor maneira de fornecer serviços financeiros. Assim, as empresas financeiras buscam tecnologia para melhorar o atendimento e a experiência do cliente.

Uma FinTech é tipicamente uma startup que identifica uma fraqueza na cadeia de serviços financeiros, por exemplo, uma área tecnológica onde os provedores de serviços financeiros apresentam desempenho inferior, talvez por causa de mudanças regulatórias ou falta de foco no cliente digital, e estão procurando fornecer uma solução para o problema. O objetivo é vender o serviço da solução diretamente aos clientes ou a um provedor de serviços financeiros existente.

Por outro lado, Techfin se refere a uma empresa de tecnologia que deseja fornecer produtos financeiros com base nas soluções de tecnologia existentes. Exemplos clássicos de instituições Techfin incluem Google (EUA), Amazon (EUA), Fаcеbook (EUA) e Apple nos Estados Unidos e Bаidu, Аlibаbа e Tеnсеnt (BAT) na China.

Sendo assim, as TechFins são diferentes de FinTechs. As TechFins geralmente começam com 3 pontos principais:

  • tecnologia;
  • dados;
  • clientes.

Em seguida, eles se movem para o mundo das finanças, aproveitando seu acesso a dados e clientes e procuram fornecer serviços melhores do que os provedores de serviços tradicionais existentes e, por isso, se distingue das startups Fintechs.

Tecnicamente falando, a Fintech é um espaço onde os serviços financeiros são entregues por meio de uma melhor experiência do usuário com tecnologia de ponta.

A TechFin, por outro lado, é onde uma empresa que oferece soluções de tecnologia lança uma nova maneira de fornecer serviços financeiros. A tecnologia e as finanças são comuns entre os dois; a diferença está na maneira como elas são aplicadas.

Vale lembrar que as techfins não vieram substituir os bancos ou corretoras, elas, na verdade, conseguem oferecer aos seus clientes uma experiência inovadora, facilitando rotinas bancárias de qualquer empresa.

Leia este artigo para entender mais sobre as Fintechs no Brasil e como as soluções têm se manifestado no território nacional. Clique aqui.

Como as Techfins estão revolucionando o mercado financeiro

A revolução mais marcante das techfins no mercado financeiro é sua nova posição como competidoras diante de um setor dominado por antigas instituições.

A economia financeira e bancária em todo o mundo está enfrentando um novo fluxo de mudanças que vem ocorrendo desde os últimos anos. E as mudanças não estão de forma alguma mostrando um quadro de paralisação – não dando fôlego para o setor financeiro segurar e reagir.

Primeiro, de um sistema bancário tradicional para o digital, depois da moeda fiduciária para a moeda digital, e agora, enquanto o mundo das finanças ainda se tornava habitual a todo esse modernismo, uma nova tendência entrou no domínio, apresentando-se como o futuro ecossistema financeiro e bancário.

O segmento TechFin do setor financeiro, como acabamos de ler, está preparando o terreno para entrar e transformar o segmento. Mas isso significa o fim do sistema bancário tradicional como o conhecemos?

A resposta de onde está o futuro das finanças está na própria economia financeira. A verdade é que pode ocorrer de, em algum momento, as empresas TechFin e FinTech venham a se fundir e suas ofertas se tornarão semelhantes.

Em suma, as empresas FinTech pensam com base nas tecnologias existentes, revisam a estrutura e criam serviços financeiros antigos e novos. E, ao lado, criar inovações disruptivas.

As empresas TechFin, por sua vez, pensam o contrário, como a tecnologia pode ser usada em uma empresa e estrutura de serviço existentes. Durante esse processo, eles criam inovações de suporte.

Em conclusão, as instituições FinTech e TechFin garantem a satisfação do cliente.

Tecnologia e investimentos: tendências para impulsionar o mercado financeiro. Saiba mais aqui.

Conclusão

Você pôde ver que o termo FinTech é usado para definir instituições financeiras que empregam o uso de métodos tecnológicos para melhorar seu relacionamento com o cliente e serviços de entrega. Já a TechFin refere-se a empresas de base tecnológica que pretendem estender suas operações ao setor financeiro.

A INCO Investimentos é uma empresa Fintech que tem o objetivo de facilitar o acesso de brasileiros a investimentos imobiliários, com ofertas que permitem aplicações a partir de R$1mil por meio do financiamento coletivo imobiliário.

Saiba mais aqui e comece a investir no mercado imobiliário.

mercado-financeiro

Publicações relacionadas