O Banking as a Service (BaaS) é mais uma inovação em fintech que está permitindo colaborações entre bancos e fintechs, e virando tendência. 

Nos serviços financeiros, as plataformas Banking as a Service (BaaS) surgiram como um componente-chave do Open Banking, no qual as empresas oferecem mais opções de transparência financeira para titulares de contas abrindo suas interfaces de programação de aplicativos (APIs) para terceiros desenvolverem novos serviços.

Essa modalidade acompanha o modelo “as a service”, muito usado nas soluções atuais, que são pagas de acordo com o uso.

Entenda melhor neste artigo o que é Banking as a Service e porque virou uma tendência.

Não se esqueça de baixar o Glossário do Mercado Financeiro com 104 termos que qualquer investidor precisa conhecer do mercado financeiro neste e-book completo. Clique aqui.

mercado-financeiro

Entenda o que é Banking as a Service 

O setor bancário tem passado por uma espécie de metamorfose nos últimos anos. Com a entrada dos players de fintech no mercado, essa transformação tem ganhado grande popularidade. 

O Banking as a Service (BaaS) é uma abordagem ponta a ponta que facilita às empresas fintech e outras organizações terceirizadas a se conectarem com o sistema de um banco que utiliza APIs. Isso ajuda as organizações a construir serviços financeiros inovadores sobre a infraestrutura regulamentada do banco provedor, ao mesmo tempo que permite serviços bancários abertos.

Como o Banking as a Service difere do banco tradicional?

Para entender isso, é preciso analisar as funções de um banco — retenção de dinheiro, remessas e processamento de pagamentos. Para que os bancos possam suportar essas funcionalidades, eles precisam investir muito e constituir a infraestrutura necessária.

Os processos, junto com a infraestrutura complexa, acabam criando travamentos. E esses bloqueios são um dos motivos para a criação do pensamento e aplicação para empresas fintechs e organizações não bancárias no sentido de construir serviços financeiros. 

O Banking as a Service permite que organizações terceirizadas utilizem os serviços bancários existentes por meio de APIs que se comunicam entre bancos e terceiros. Essas APIs permitem o uso desses serviços bancários por empresas fintech e outras empresas não financeiras.

Isso permite que eles criem seus próprios recursos como uma camada sobre os serviços bancários existentes. 

Em palavras simples, o BaaS é um sistema que permite que empresas não bancárias incorporem serviços financeiros em seus produtos. 

Por exemplo, empresas que não são bancos licenciados podem oferecer empréstimos ou serviços de pagamento aos clientes, integrando o banco digital a seus sistemas. 

Para tornar isso possível, os bancos podem criar suas próprias plataformas ou trabalhar com provedores terceirizados que oferecem soluções BaaS.

Como funciona o Banking as a Service? Entenda o modelo Baas que tem virado uma tendência

BaaS é um modelo de ponta a ponta que permite que bancos digitais e outros terceiros se conectem aos sistemas bancários diretamente por meio de APIs para que possam criar ofertas bancárias com base na infraestrutura regulamentada dos provedores, bem como desbloquear a reformulação de oportunidades bancárias abertas o cenário global de serviços financeiros.

O modelo BaaS começa com uma fintech, banco digital ou outro provedor terceirizado (TPP) pagando uma taxa para acessar a plataforma BaaS.

A instituição financeira abre suas APIs para o TPP, concedendo acesso aos sistemas e informações necessárias para construir novos produtos bancários ou oferecer serviços.

Além de avançar em serviços open service, as instituições que lançam suas próprias plataformas BaaS também estão abrindo novos fluxos de receita. 

Tecnologia e investimentos: tendências para impulsionar o mercado financeiro. Descubra aqui.

Afinal, como funciona o Banking as a Service?

A melhor maneira de explicar o Banking as a Service é por meio de um exemplo. Imagine por um momento que você é o gerente de uma companhia aérea. Você está enfrentando uma concorrência acirrada e gostaria de fortalecer a lealdade de seu cliente. 

Se você pudesse oferecer a seus clientes, digamos, um cartão de débito, poderia conceder a eles pontos de fidelidade sempre que pagassem com o cartão. Então, cada vez que seus clientes usam o cartão, eles interagem com sua marca. 

Ao analisar o comportamento de seus clientes, você pode entendê-los melhor e oferecer-lhes serviços mais personalizados.

E se você pudesse oferecer a seus clientes um empréstimo online para as passagens aéreas diretamente em seu site, por exemplo? Dessa forma, seus clientes poderiam financiar suas férias sem nunca ter que interromper a jornada do cliente. 

Você pode aumentar o número de passagens aéreas que vende e influenciar diretamente o valor que seus clientes gastam. Um empréstimo também representa um relacionamento muito mais próximo com o cliente, com muito mais pontos de contato do que apenas uma única venda.

Existem dezenas de maneiras de como essas empresas podem melhorar a experiência do cliente e aumentar sua receita, oferecendo seus próprios serviços bancários. 

O Banking as a Service descreve um modelo no qual os bancos licenciados integram seus serviços bancários digitais diretamente aos produtos de outras empresas não bancárias. 

Dessa forma, uma empresa não bancária, como a “sua companhia aérea”, pode oferecer aos seus clientes serviços de banco digital, como contas bancárias móveis, cartões de débito, empréstimos e serviços de pagamento, sem a necessidade de adquirir uma licença bancária própria.

O sistema do banco se comunica por meio de APIs e webhooks como o da companhia aérea, permitindo que seu cliente acesse os serviços bancários diretamente por meio do site ou aplicativo de sua companhia aérea. 

A companhia aérea nunca toca realmente no dinheiro do cliente, ela age simplesmente como um intermediário, o que significa que não é onerada por nenhuma das obrigações regulatórias que um banco deve cumprir.

Então, o Banking as a Service é o mesmo que o open banking?

Não. Os dois modelos costumam ser confundidos, já que o open banking também envolve bancos que se conectam a não bancos por meio de API. No entanto, os modelos têm finalidades totalmente diferentes.

Nos modelos BaaS, as empresas não bancárias integram serviços bancários completos em seus próprios produtos.  Como dissemos neste artigo aqui, a “visão do Open Banking é de que os dados do consumidor são pessoais e de sua propriedade e não do banco que ele está vinculado”. 

Os benefícios do modelo Banking as a Service

O valor essencial do BaaS reside, é claro, em sua natureza digital inovadora. As operações financeiras são parte inseparável de qualquer negócio e todas as partes envolvidas podem colher benefícios significativos com a simplificação do processo. Entenda mais a seguir.

Atrair clientes

Conveniência, velocidade e uma ampla seleção de opções de pagamento são apenas algumas das vantagens que as plataformas BaaS podem agregar à experiência do consumidor.

Nunca na história tivemos tantas ferramentas para tornar todas as transações fáceis e proporcionar a melhor experiência aos clientes.

Com o Banking as a Service é possível desenvolver produtos financeiros para uma empresa que, necessariamente, não precisa ser qualificada e regulada para ser um banco. 

A aprovação virtual de empréstimos, cartões de lojas de departamento e supermercados, por exemplo, são um bom exemplo disso.

Ampliar os negócios

As empresas que adotaram o modelo Banking as a Service estão conquistando a fidelidade de seus clientes e obtendo lucros adicionais com esses produtos financeiros integrados.

Eles também estão economizando muito na infraestrutura necessária para acomodar serviços bancários legados.

Fintechs

As Fintechs têm a oportunidade única de implementar suas soluções financeiras dentro sem a necessidade de obter uma “licença” bancária. 

Deseja saber mais o que são fintechs e como estão revolucionando o mercado? Leia mais neste artigo.

Segurança e flexibilidade

O modelo BaaS dá aos negócios mais credibilidade para atuar no mercado financeiro, já que toda a infraestrutura de segurança é garantida por uma outra instituição, que já possui experiência no setor.

Além disso, o Banking as a Service oferece flexibilidade para que a empresa desenvolva o modelo de negócio que melhor se encaixa em suas necessidades.

O sistema BaaS permite que as instituições financeiras obtenham novos insights sobre os hábitos de compra e investimento de seus clientes.

Conclusão

Vimos neste artigo o que é o Banking as a Service e porque ele tem se tornado uma tendência.

Resumidamente, o Banking as a Service (BaaS) refere-se às plataformas de serviços financeiros que visam a permitir ter acesso às diversas facilidades online no formato “as a Service”, como a automação do setor financeiro da empresa.

Aproveite e conheça a Fintech que tem revolucionado o mercado de investimentos em 2021. Clique aqui.

Gostou do nosso conteúdo? Assine gratuitamente a newsletter da INCO e fique por dentro de todas as novidades sobre o mercado financeiro. Cadastre-se aqui.

Publicações relacionadas