Na hora de planejar seu investimento, além da rentabilidade, é primordial avaliar a liquidez. Isso porque uma das considerações mais importantes para quem investe nos mercados financeiros é a capacidade de acessar seu dinheiro, se necessário.

A facilidade com que isso é possível é definida pela liquidez do ativo subjacente, sejam ações, títulos, mercadorias ou ativos reais.

Basicamente, liquidez refere-se à rapidez com que você pode converter um ativo em dinheiro, mantendo seu valor. Um ativo que pode trocar de mãos rapidamente pode ser descrito como líquido. Já o ativo que leva mais tempo para vender é considerado menos líquido.

Para entender como levá-la em conta na hora de criar uma carteira de investimentos preparamos este artigo especial sobre liquidez. Acompanhe a leitura. 

Aproveite para aprender mais sobre planejamento financeiro neste curso especial que preparamos para você. Clique aqui.

O que é Liquidez?

Do ponto de vista financeiro, liquidez refere-se à acessibilidade de um investimento. A liquidez é importante não apenas para investimentos de rendas variáveis, tais como imóveis e ações, como também para investimentos de renda fixa, previdência privada e títulos públicos.

Para compreender a liquidez é preciso avaliar a facilidade de conversão e a perda de valor. Isto é, para um ativo ser convertido em dinheiro rapidamente, em geral haverá perda no seu valor. 

Uma maneira útil de pensar sobre liquidez é considerar a facilidade com que uma transação pode ser concluída. 

Podemos ver o efeito disso no nosso dia-a-dia: um imóvel é um bem com baixa liquidez, pois, caso você precise de dinheiro terá de vendê-lo. O fato é que haverá um tempo até você conseguir encontrar um interessado que feche a compra. 

Porém, se a sua necessidade de ter o dinheiro for imediata, você terá que vender o imóvel por um valor menor, o que faz com que você acabe perdendo dinheiro.

A poupança é outro exemplo de ativo com alta liquidez, já que você pode sacar o dinheiro assim que precisar, e as perdas não são tão grandes, pois os juros são pagos uma vez por mês. Porém, a poupança tem um rendimento irrisório que costuma seguir abaixo da inflação.

Qual o impacto da liquidez nos investimentos?

Analisar a liquidez de um investimento é de suma importância na hora de planejar melhor suas ações.

O grau de agilidade de conversão de um investimento sem perda significativa de seu valor mede sua liquidez. Logo, quanto mais rápida for essa conversão mais líquido esse ativo será. De maneira contrária, se um ativo tem pouca liquidez é mais difícil de se converter em dinheiro.

Se você está pensando em investir a longo prazo, poderá optar por possibilidades de baixa liquidez, afinal terá tempo até se “desfazer” do ativo, evitando perder dinheiro.

Porém, se a ideia é um ativo para gerar dinheiro rápido, como no caso de uma reserva de emergência ou para uma viagem de férias, por exemplo, o melhor é optar por alternativas com alta liquidez, assim você poderá convertê-lo rapidamente em dinheiro, sem perdas significativas.

Nos mercados de ações, as ações da empresa estão do outro lado do espectro de liquidez.  Para que uma ação seja considerada líquida, suas ações devem poder ser compradas e vendidas rapidamente, e com impacto mínimo no preço da ação. 

As ações de empresas multibilionárias, por exemplo, negociadas nas principais bolsas de valores tendem a ser altamente líquidas. São conhecidas como ações de grande capitalização e são negociadas em grandes volumes em qualquer dia. 

As empresas menores – ou ações de capitalização reduzida – geralmente são listadas em bolsas de valores menores.  Elas geralmente são menos líquidas, o que implica um maior risco de liquidez.  E como não são negociados com tanta frequência, qualquer aumento repentino na demanda pode criar uma volatilidade significativa do mercado.

Papel da liquidez nos investimentos

A liquidez desempenha um papel crucial no equilíbrio de seu portfólio com compensações entre risco e retorno. Se você investir em fundos de emergência, terá alta liquidez, mas os retornos seriam baixos, assim como o risco. O investimento imobiliário, por exemplo, apresenta baixo risco e maior retorno. 

A opção por fundos mútuos de ações, a longo prazo, gera retornos mais altos com liquidez, mas isso também é acompanhado por riscos mais altos. Porém, apesar desses cenários, é um componente significativo no investimento de portfólio.

Investimentos de renda fixa mais conservadores, tais como caderneta de poupança, CDI e CDB apresentam elevado grau de liquidez e baixo risco, consequentemente  tem rentabilidade do mercado. Mas existem exceções tais como os CDI’s prefixados, em que a taxa de retorno está atrelada à prazos de carência e, por isso oferece retorno um pouco maior.  

Existem diversos fatores que definem a liquidez de um bem ou investimento. Entre eles, estão:

  • Demanda do mercado; 
  • Tipo de ativo;
  • Preço desse ativo (quanto mais alto, menor tende a ser a liquidez);
  • As próprias regras das aplicações financeiras (carência e a própria rentabilidade, por exemplo).

Prazo de investimento

Na hora de compor um portfólio rentável de investimentos, é importante atentar-se ao prazo dos investimentos, o qual diz respeito à data de vencimento dele. Um dos conceitos centrais ao discutir sobre prazo é a liquidez. No entanto, eles não são sinônimos. 

Ainda que a data de vencimento de um investimento seja para resgate daqui a alguns anos, ele pode apresentar alta liquidez.

A liquidez é um atributo muito esquecido

O valor da liquidez no domínio do investimento é bastante subestimado. Na corrida para garantir o futuro, muitos investidores perdem provisões para os imprevistos. No caso dos investimentos com maior risco de liquidez, por exemplo, a falta de planejamento pode se tornar uma dor de cabeça. Por isso, é importante se informar sobre a liquidez do investimento antes de tomar uma decisão.

Trade-off: Liquidez, Rentabilidade e Risco

O investimento é baseado em três pilares: retorno, risco e liquidez. A premissa quando pensamos em investir é em ter um bom retorno financeiro no futuro, não é mesmo? Porém, devemos ficar cientes dos riscos inerentes ao investimento e também da sua liquidez. 

Então, qual seria o investimento ideal? Aquele que tenha alta rentabilidade, baixo risco e ótima liquidez. No entanto, de certo ponto um exclui o outro. Como? É que para conseguir um pouco mais de um é necessário abrir mão de outro. Daí surge o conceito de trade-off, que se refere à relação de compensação entre esses fatores, onde se ganha num quesito e se perde em outro. O que na verdade nos é garantido é que um ativo com alto risco, em geral, apresenta maior rentabilidade.

Conheça qual é a liquidez dos principais tipos de investimento

A INCO separou alguns exemplos de investimentos que possuem diferentes características de liquidez. Assim, você poderá entender melhor como esse conceito impacta nas aplicações, e te ajudará também a escolher as melhores opções de ativos para você.

Caderneta de Poupança

A caderneta de poupança é um dos mais populares tipos de investimentos entre os brasileiros. Como já dissemos em outros artigos, a rentabilidade da caderneta de poupança é bastante limitada, mas você pode resgatar o dinheiro facilmente, já que a poupança possui liquidez diária.

Imóveis

Ao investir em imóveis não se pode ignorar os riscos desse mercado, já que esse ativo geralmente possui os graus de liquidez mais baixos do mercado, e risco de vacância, que é o risco de o imóvel destinado para locação ficar vago por muito tempo. Portanto, avalie seu objetivo de investimento.

Crowdfunding Imobiliário

O investimento através de crowdfunding imobiliário tem pouca liquidez. Isso significa que, uma vez investido seu dinheiro, você terá de esperar o empreendimento ser concluído para ter acesso ao seu capital. Pode parecer uma desvantagem a princípio, mas o fato é que, para quem tem um plano de independência financeira de médio/longo prazo – característica do investidor do crowdfunding -, obter ganhos elevados é um foco.

Títulos públicos do Tesouro Direto

Os títulos públicos federais, negociados pelo Tesouro Direto, são os investimentos mais conservadores da economia brasileira, pois estão expostos ao risco do governo federal.

Contudo, tem caído nas graças dos brasileiros nos últimos anos, e um fator  que caracteriza isso é que sua rentabilidade é superior à poupança. E, por aliar características como baixo risco, ele têm liquidez diária, uma vez que o governo se compromete a recomprá-los todos os dias.

Fundos de investimento

Muito versáteis, os fundos de investimento têm características que atendem aos mais diversos perfis. Os fundos de investimentos – realizados por intermédio de uma corretora de valores ou uma instituição autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) -, costumam ter mais liquidez, por ser um fundo de renda fixa.

O ideal é que ela seja superior a 100% do CDI e que a taxa de administração do fundo seja menor do que 1% ao ano para não comprometer o rendimento.

CDB (Certificado de Depósito Bancário)

Os CDBs são títulos de renda fixa emitidos por bancos. E são considerados investimentos bastante conservadores, pois contam com a proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Eles têm liquidez diária e é um dos melhores investimentos de renda fixa sem perda de rentabilidade para quem efetua o resgate antes do vencimento. Mas, lembre-se que esse ativo é como uma espécie de empréstimo ao banco sob uma taxa de juros, ok?

Conclusão

Vimos que no universo dos investimentos, é fundamental preocupar-se com a “liquidez”, uma vez que ela representa a facilidade que o investidor tem de resgatar sua aplicação. 

Por isso, avalie com calma cada opção de investimento para que você consiga tomar as melhores decisões para o seu futuro financeiro.

Nunca é demais lembrar que em todas as formas de investimentos há riscos em potenciais. Sendo necessário, portanto, escolher sempre as modalidades que estejam de acordo com o seu perfil de investidor.

O segredo do sucesso é ter um bom planejamento financeiro. Por isso, nossa dica de hoje é que você aprenda como planejar suas finanças com o curso gratuito de Planejamento Financeiro que preparamos para você. Acesse aqui.

CURSO PLANEJAMENTO FINANCEIRO INCO

Publicações relacionadas