Você sabe o que é volatilidade no mercado financeiro e como ela impacta os investimentos? O mercado de ações é um bom exemplo de volatilidade, uma vez que pode sofrer flutuações diárias. Os preços das ações podem aumentar ou diminuir em pequenas ou grandes quantidades, e o intervalo dessas mudanças é frequentemente descrito usando o termo volatilidade.

Sendo assim, se você é investidor, é crucial ter um bom entendimento do que é volatilidade e como ela pode impactar suas aplicações e como os instrumentos de volatilidade se comportam. Acompanhe a leitura e saiba mais.

Antes, que tal descobrir quais os investimentos podem ser mais adequados para seu objetivo de vida. Confira tudo neste ebook exclusivo que preparamos para você.

Entenda o que é volatilidade

A volatilidade em investimentos está mais presente nos investimentos de renda variável. A volatilidade mede o grau de mudança no valor de um investimento durante um período de tempo. Por exemplo, se você tiver uma ação com um preço que permanece razoavelmente consistente, ela é considerada de baixa volatilidade.

No entanto, uma ação com um preço que muda de forma rápida e frequentemente é considerada mais volátil. O que significa que a alta volatilidade tornará um investimento mais arriscado e também representa um maior potencial de ganhos ou perdas.

Ao determinar a volatilidade de um determinado investimento, não é suficiente apenas olhar para a mudança de preço de um dia para o outro. Você também deve observar a maior perda mensal ou trimestral que ela sofreu, bem como o maior ganho.

Se você deseja saber tudo sobre renda variável e como começar a investir e ter uma ótima rentabilidade dos seus investimentos, saiba mais neste curso exclusivo feito para você.

Como funciona a volatilidade em investimentos?

Gerenciar a volatilidade tem tudo a ver com gerenciar sua exposição ao risco, e também pode reduzir os retornos. Por isso, entender como funciona a volatilidade dos investimentos é uma forma de calcular os riscos aos quais suas aplicações financeiras estão expostas, além de permitir que você planeje suas aplicações financeiras a fim de diversificar sua carteira de investimentos.

Ao investir em um portfólio diversificado você pode mitigar os riscos associados à volatilidade do mercado, pois geralmente todos os investimentos não sobem e descem ao mesmo tempo ou no mesmo montante. 

Qual é a diferença entre volatilidade e risco?

A volatilidade e risco são conceitos diferentes, mas ambos têm um papel na determinação do sucesso do seu investimento. A volatilidade é basicamente o quanto o mercado sobe ou desce, enquanto o risco é a quantidade de perda ou ganho que você está disposto a aceitar.

O grau de volatilidade de seus investimentos geralmente é determinado pelo nível de risco que você está disposto a aceitar. Durante os períodos de volatilidade do mercado, é importante manter o foco em seus objetivos de alocação de ativos de acordo com seu perfil de investidor. 

Lembre-se também de fazer o balanço dos seus investimentos de acordo com a sua tolerância ao risco e objetivos de vida.

Como a volatilidade do mercado financeiro pode afetar os investimentos: descubra

Diversos fatores podem influenciar os preços dos ativos. Confira:

Incerteza política

A incerteza política tem o potencial de ser um dos principais motores da volatilidade do mercado. 

Por exemplo, se um país muda de governo e, como resultado, os investidores estão preocupados que novas políticas ou impostos afetem negativamente as empresas ou os mercados, eles podem decidir vender os investimentos rapidamente, o que pode derrubar os mercados. 

Da mesma forma, a mudança política pode fazer com que os mercados subam se um novo governo for considerado favorável ao investimento.

Dados econômicos

Os dados econômicos podem ajudar os investidores a compreender a saúde de uma economia. Essas medidas incluem o Produto Interno Bruto (PIB).

Política monetária

Mudanças na política monetária, como aumento ou queda nas taxas de juros – ou mesmo a expectativa de tais mudanças – podem impactar os mercados. 

Eventos 

Ocorrências imprevistas, como desastres naturais como um terremoto, podem afetar os mercados de ações e títulos.

Outro ponto a considerar é quando a volatilidade é causada por uma excitação repentina ou sustentada em torno das perspectivas futuras de um setor. Recorde-se  da “bolha econômica dos anos 1990”, quando o valor de muitas empresas baseadas na Internet disparou apenas para cair posteriormente quando a bolha estourou na virada do século.

Como gerenciar a volatilidade em minha carteira de investimentos?

A melhor maneira de lidar com a volatilidade do mercado é estar preparado para ela. Isso significa adotar uma abordagem ativa e manter um portfólio bem diversificado, onde seu dinheiro é distribuído por uma ampla variedade de investimentos diferentes, incluindo dinheiro, títulos, ações e propriedades.

A exposição de uma carteira à volatilidade pode e precisa ser gerenciada para evitar a perda permanente de capital ou deterioração temporária.

A diversificação permite que a maior volatilidade dos ativos de maior risco seja compensada pela inclusão de instrumentos não correlacionados. A longo prazo, uma carteira diversificada de ativos terá menor volatilidade geral, mas cada classe de ativos ainda gerará seu próprio retorno ideal.

A melhor dica, portanto, é criar estratégias de investimentos que incluam alguns títulos e ações mais voláteis em meio a ativos financeiros menos voláteis. Desta forma, você poderá equilibrar os riscos, minimizar as perdas e ainda maximizar seus rendimentos de uma forma saudável e equilibrada financeiramente.

Aprenda aqui o passo a passo para começar a investir e garanta sua independência financeira.

Reduza a volatilidade em uma carteira

Os instrumentos e estratégias a seguir podem ser usados ​​para reduzir a volatilidade geral da carteira. Conheça alguns ativos:

Imóveis, private equity e venture capital podem ser usados ​​para gerar retornos de longo prazo. Todas essas classes de ativos são ilíquidas, o que geralmente é visto como uma desvantagem. No entanto, isso também significa que os preços geralmente não são tão voláteis quanto nos mercados líquidos.

As commodities têm ciclos muito longos e, às vezes, oferecem proteção contra a inflação e a desvalorização dos ativos financeiros. Enquanto a maioria dos instrumentos negociáveis ​​são ativos financeiros, imóveis e commodities são ativos tangíveis. Isso torna essas duas classes de ativos mais resilientes à inflação e aos períodos de incerteza.

Metais preciosos como ouro e prata também são ativos reais que podem funcionar como uma proteção contra a inflação. 

Caso esses segmentos não sejam adequados para seu perfil de investidor e você, de fato, quer se beneficiar da volatilidade de algum tipo de investimento, invista em ativos que te ajudem a ter liberdade financeira, segurança e estabilidade financeira. Lembre-se que, quanto mais uma carteira é diversificada em diferentes classes de ativos e estratégias, mais a volatilidade pode ser reduzida. 

Conheça aqui outras opções de investimentos para você diversificar as possibilidades de ativos.

Como a volatilidade do mercado de ações é medida?

A volatilidade do mercado de ações é mais comumente medida pelo desvio padrão, que é uma medida da quantidade de variabilidade em torno de uma média. Quanto maior o desvio padrão, maior será a volatilidade.

No entanto, é importante observar que o valor absoluto do desvio padrão também dependerá do preço do título.

Assim, os desvios-padrão para títulos com preços mais elevados serão maiores, mas isso nem sempre indica maior volatilidade. Para interpretar o desvio padrão como uma medida de volatilidade, o preço da ação deve ser levado em consideração.

Conclusão

Vimos que os investidores podem mitigar os riscos associados à volatilidade do mercado investindo em uma carteira diversificada composta por ações, títulos e alternativas.

É importante ressaltar também que a volatilidade é indicativa de risco, mas também é bastante comum em mercados emergentes e campos altamente inovadores. Às vezes, alta volatilidade é considerada durante os estágios iniciais do desenvolvimento de um determinado mercado. 

Portanto, é bem possível que um investidor de longo prazo invista em um ativo volátil, embora acredite que ele se tornará menos volátil com o tempo.

A volatilidade do mercado pode dizer muito sobre a segurança de seus investimentos. Quanto mais volátil o mercado for, maior o risco. Por exemplo, se você escolher uma ação volátil no momento errado, isso pode ter um impacto considerável no retorno de seus investimentos. 

Nós da INCO recomendamos que o investidor aposte parte de seus recursos em rendas variáveis que, embora sigam as tendências de volatilidade do mercado, podem resultar em ganhos mais significativos.

E o crowdfunding imobiliário é uma dessas opções para quem quer diversificar investimentos, além de ser um investimento seguro e com rentabilidade acima dos produtos financeiros tradicionais.

Deseja saber mais? Baixe nosso Ebook completo e descubra tudo sobre esse novo jeito de investir em imóveis!

crowdfunding-de-investimentos

Publicações relacionadas